domingo, 19 de junho de 2011

Again - 2º capítulo



"Mãos sobre minha cabeça pensando o que mais poderia dar errado? Não deveria ter levantado da cama, como um dia pode ser tão longo? "


Chegamos na escola e seguimos em direção a nossas salas. Subi três escadas correndo feito um louco, depois me pergunto da onde aparece os roxos no meu corpo.
Fui em direção da sala mesmo sabendo que eu estava fudido, como o Ryan mesmo disse. O Sr. Lumbert nunca gostou de atraso, e nunca gostou de mim. Mas não me pergunte o porq, porq nem eu sei o que fiz de errado.
A porta estava aberta e eu percebi que todos estavam anotando algo que ele falava. Bati na porta e todos olharam.
 
Sr. Lumbert: Senhor Bieber ?
 
Justin: Am....- limpei a garganta - desculpa o atraso, é que...


Sr. Lumbert: Não precisa se explicar, entre e sente na sua cadeira. - eu olhei assustado pra ele, aliás ele nunca falou isso e como assim cara ? 

Justin: É sério?

Sr. Lumbert: Não! Agora espere o segundo horário. - ele fechou a porta na minha cara e pude escutar as risadinhas de alguns dentro da sala. Me virei e fui procurar algum lugar onde eu poderia esperar o bendito e abençoado, sinal.
Desci novamente as três escadas e fiquei andando de um lado pro outro. Olhei todos os diplomas que havia na parede, e todos os músicos, hoje famosos, que estudaram aqui .
Será que algum dia eu ainda consigo me tornar igual eles? Famoso?  


Secretária: Oi, posso ajudar? 


Justin: Ah, nada é que eu perdi o primeiro horário e to esperando.


Secretária: Mas você não pode esperar aqui. - olhei a minha volta e procurei alguma placa escrita "proibido esperar o próximo horário aqui" mas nada ¬¬


Justin: E onde eu posso esperar madame? - disse em um tom de ironia.


Secretária: Bom, normalmente quando alguém se atrasa, essa pessoa vai embora. Mas faz o seguinte, espera em frente a sala do seu próximo horário.


Justin: Sério?


Secretária: Aham. 


Caralho, só podem estar de brincadeira comigo né? Ou estão me achando gordo demais e acham que subir três andares vai fazer bem , porq né ?


Justin: Ah beleza, então eu vou ... subir...de novo. - dei um sorriso forçado e subi tudo aquilo novamente, mas ao contrário das outras vezes não subi correndo, e sim contando
os passos. Respirei fundo quando cheguei lá em cima, sentei lá no banco e fiquei esperando a hora passar.
Pouco depois Chaz passou com uma garota, o que ele tá fazendo que não tá na aula? Ah não, eu sei a resposta. 


Chaz: Fala Justin . - fizemos um comprimento com as mãos. 


Justin: E aí cara ? Beleza?


Chaz: Suave, ah essa é a Karine, Karine esse é o Justin, meu amigo. 


Karine: Oi , prazer. - ela esticou as mãos e eu a cumprimentei. Sei lá, pode ser só impressão minha mas eu acho que essa menina é diferente das outras. O jeito dela parece ser tão meigo, ao contrário das outras que nem olhavam pra minha cara. E eu espero que diferente das outras, ela não ganhe um pé na bunda do Chaz.


Chaz: Ah cara sua mãe me ligou , disse que seu celular estava desligado, e pediu pra te avisar que ela quer falar com você urgentemente. E a pergunta é, como ela sabe meu número ? - ele levantou uma das sobrancelhas.


Justin: Ah eu dei caso acontecesse algo como aconteceu agora.


Chaz: Hm... mas e aí perdeu aula?


Justin: Perdi - passei uma das mãos no cabelo - e você , vai perder ?


Chaz: É, vou. - ele sorriu malicioso - e por falar nisso deixa eu ir. Tchau. 


Karine: Tchau Justin. - ela sorriu e saiu andando de mãos dadas com Chaz.


Respirei fundo mais uma vez enquanto percebia que o tempo não passava. E pra sair daquele tédio todo peguei meu violão e comecei a dedilhar , até que eu percebi que o meu azar estava a todo o vapor. Sabe o que aconteceu? Uma das cordas do violão soltou e acertou bem no meu olho. Não consegui evitar, tive que gritar porq a dor foi infernal. 
Nem quis saber, deixei o violão jogado de qualquer jeito no banco e fui correndo ao banheiro mais próximo. Cheguei lá, abri a torneira e fui lavando o olho. Muito lindo , agora estou com o olho vermelho prestes a sangrar ¬¬ Já não tinha jeito, eu ia ter que ir embora. 
Peguei um pedaço de papel e fui colocando no olho a cada cinco segundos. Voltei no corredor onde estava, peguei meu violão e saí daquela faculdade. Quando fui jogar o papel fora me passa um carro e joga água em mim. Eu tive que xingar aquele filho da... esquece. 
Aí quando eu penso que não pode piorar, começa a chover --' caralho, o que eu fiz pra merecer isso? 
Saí correndo até o outro lado da rua procurando algum lugar pra me "proteger" da chuva. Encontrei uma cabine de telefone e entrei lá dentro. Assim enquanto ligava pra minha mãe, não me molhava mais. 


================================== Ligação ==================================== 


Pattie: Alô?
Justin: Mãe? Oi, é o Justin.
Pattie: Ah oi meu amor. Tá tudo bem com você? Já comeu? Está agasalhado ? Fiquei sabendo que está uma neve aí...
Justin: Ah mãe está tudo bem sim, e aí ? 
Pattie: Também, tirando o fato de estarmos morrendo de saudade sua.
Justin: Ah mãe eu também estou morrendo de saudade de vocês. Mas queria falar comigo ? 
Pattie: É que a Jazmyn quebrou o braço e cismou que se falasse com você iria melhorar. - eu ri e pedi pra minha mãe passar o telefone pra ela.
Jazmyn: Jus? 
Justin: Oi minha princesa, como você está? Fiquei sabendo que quebrou o braço. 
Jazmyn: É Jus, tá doendo muuuuito. 'Voxe' tem que vim dá 'bejo' , se não, não 'melola'
Justin: Minha princesa eu juro que se eu pudesse eu iria  pra casa cuidar de você. Mas olha finge que a mamãe sou eu tá? Aí tudo que eu falar ela vai fazer e aí seu braço melhora. Tá bom?
Jazmyn: Aham.
Justin: Vou desligar agora. Tchau, beijos.
Jazmyn: 'Xau' ah Jus ?
Justin: Oi?
Jazmyn: Quando 'voxe' vier 'pla' casa, não esquece minha Barbie tá?
Justin: Pode deixar. Beijos.
Jazmyn: 'Bejo' eu te amo. 
Justin: Eu também minha linda.


================================== Ligação ====================================


Desliguei o telefone e antes de sair da cabine, coloquei o capuz da minha blusa na cabeça.
Corri entre os carros e fui direto pra estação. Chegando lá eu percebi que não era o único encharcado , e isso realmente poderia me deixar feliz se eu não estivesse com o olho enxado e vermelho e a barra da calça toda suja de lama que aquele infeliz do carro jogou em mim. Percebi que o metrô acabara de sair, bufei de raiva e fiquei esperando o próximo.
Depois de trinta e dois minutos esperando, o metrô finalmente passou. Passei as mãos no cabelo percebendo como um dia pode ser tão longo, e pedi pra que mais nada de ruim acontecesse comigo. 



Continua
Ah amores desculpa a demora. Sério mesmo, estava muito corrido pra mim na escola =s
Mas prometo postar o mais rápido possível. 
Ah capítulo que vem você e o Justin irão se conhecer *.* hihi
Obrigada pelos comentários e Mylena obrigada pelo selo linda.
Beijos ;*